Imagem capa - Retrato da empresária Crislene Marques do Colégio CEIPA por FREDERICUS AUGUSTUS DA SILVA
Retratos

Retrato da empresária Crislene Marques do Colégio CEIPA

Fotografei a empresária Crislene Marques do Centro de Educação Infantil Portas Abertas – ME, nome fantasia “Colégio CEIPA” para a campanha Contagem faz, Contagem vende da Associação Comercial e Industrial de Contagem - ACIC


História

O Colégio CEIPA foi fundado em 10 de maio de 2012 e denominado Centro de Educação Infantil Portas Abertas – ME, nome fantasia “Colégio CEIPA”, com a justificativa de receber de portas abertas aqueles que optarem em fazerem parte de uma escola com uma visão construtivista e sociointeracionista. São quase 9 anos de história e muitos sonhos ainda para se realizar.

O Colégio CEIPA está situado à Avenida das Tulipas, 710 A, Sapucaia I, Contagem – Minas Gerais.

Atende as modalidades da Educação Infantil com a Resolução SEDUC nº 041/2014 e parecer CMEC nº 089/2014 e na modalidade dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental com a resolução SEE 645/2014 e parecer CEE nº 375/2014.


Proposta Pedagógica

Unindo o amor, o cuidado e o carinho pelas crianças e com a preocupação em capacitar e ensinar com qualidade é que o Colégio CEIPA – Centro de Educação Infantil “Portas Abertas” foi fundado.

O intuito é oferecer ensino de qualidade, com profissionais capacitados, onde se valoriza e se respeita a individualidade de cada aluno, e que visa à formação de cidadãos éticos que contribuam para o crescimento da sociedade.

Com esta proposta, o Colégio CEIPA pensou em espaços acolhedores, estrutura física adaptada e com planejamento pedagógico que prima pela qualidade, pois acredita que a sólida valorização do indivíduo começa com uma educação de excelência. Desde o Maternal até o 5º Ano são desenvolvidas as habilidades e critérios para um crescimento harmonioso dos aspectos sociais, emocionais e cognitivos, priorizando sempre a estabilidade da criança e sua interação ao meio social tendo como base as expectativas de aprendizagem para a Educação Infantil e Ensino Fundamental alinhadas a nova BNCC (Base Nacional Curricular Comum).

Como parte desta filosofia, existe um grande respeito às características da faixa etária de cada aluno e aos estímulos trabalhados para aprimorar a sua criatividade, autonomia e aprendizado. De acordo com a necessidade de uma prática pedagógica coerente e que se assegure os direitos das crianças é que elaboramos e pensamos a escola como um espaço de interação e aprendizado significativo preocupado com cada fase da infância.

Dias e Faria (2005, p.69) afirmam que: “A metodologia adequada é aquela que promove a interação entre as crianças, que provoca curiosidade e o desejo de agir sobre o mundo e que possibilita a exploração dos espaços e dos objetos, levando em consideração suas necessidades de brincar, de conhecer o mundo e de se expressar por meio de diferentes linguagens.”


Propósito

O Colégio CEIPA tem por sua concepção de educação uma visão construtivista-sócio-interacionista, que parte do pressuposto de que o indivíduo constrói o conhecimento na sua interação com o meio e com o outro, tendo aqui a clareza de que esse outro desempenhará um papel de extrema relevância no processo de aprendizagem.


A campanha

Contagem faz, Contagem vende

É compromisso da ACIC, além de se preocupar e valorizar seus associados, buscar estratégias para o desenvolvimento de todos, em especial nos momentos de crise.

Assim como os Empreendedores que acreditaram e continuam acreditando no potencial de nossa cidade, a ACIC, como uma associação de mais de 30 anos, quer fazer a sua parte, desenvolvendo projetos para potencializar o consumo, a fabricação e a contratação de serviços.

Com esse pensamento a Associação Comercial e Industrial de Contagem toma a iniciativa de apresentar uma campanha de valorização do comércio, serviço e indústria do município, ‘‘Contagem Faz, Contagem Vende’’ que tem os seguintes objetivos:

Buscar a retomada do crescimento dos setores do comércio, de serviços e da indústria;

Promover o desenvolvimento do município;

Contribuir para o aumento de novos postos de trabalho;

Trazer mais recursos para o município;

Gerar mais investimentos nas mais diversas áreas.

Principal: conscientizar a todos que o melhor para ela está próximo à sua casa, trazendo comodidade, redução de gastos e segurança, mais ainda, fazendo a economia girar.


ACIC

A voz do empresariado de Contagem

Trinta anos de história, 30 anos de dedicação e 30 anos de anseios e realizações. Anos esses marcados por incertezas decorrentes de projetos econômicos governamentais e ingentes esforços e muitas decisões. Aquela pequena unidade da ACMinas foi ganhando voz, formato e nome: ACIC (Associação Comercial e Industrial de Contagem) tornando-se a voz do empresariado contagense.

Primórdios

Hoje, com 30 anos de atividades, sua história já remontava desde 1973, quando jovens empresários reuniram-se em um prédio, antigo cinema de Contagem, para criarem a tão sonhada entidade. Segundo o empresário José Quintão Romêro, na época, ele e outros empresários concorriam as eleições para a presidência da ACIC. Sr. Quintão foi eleito com 76 votos contra 16 dos concorrentes. “Mas devido à conotação política, a associação não deu certo”, revela.

Membro da ACMinas

O empresariado de Contagem buscava por uma liderança local. No final da década de 70 era criada a ACIC Distrital, por meio da Associação Comercial de Minas. O primeiro empresário a assumir a presidência da distrital foi Nirlando Beirão, sucedido pelo também empresário Zoltan Glueck. Logo depois foi a vez de Javert Vivian Silva, assumir a presidência, sendo o responsável por desvincular a ACIC da ACMinas.

Autonomia

Em 13 de julho de 1983 encerravam-se as atividades da distrital e a Associação Comercial e Industrial de Contagem (ACIC) era fundada. Como grande incentivadora, em 18 de agosto do mesmo ano, a ACMinas doava utensílios, móveis para que a ACIC pudesse dar seus primeiros passos. Passos esses rumo ao futuro!.

O primeiro endereço

Até a construção de sua sede, a ACIC funcionava na Av. João César de Oliveira, 1270 – Eldorado – em salas gratuitamente cedidas pela Convivi- Construtora Vivian Ltda.

Segundo Javert, muitos foram os feitos da ACIC nesses anos de existência, destacando posições firmes diante de muitos planos econômicos “mirabolantes”. “Destaco o projeto de estatização dos bancos, o qual a ACIC foi contra e não concordou por entender que seria danoso para o sistema; ergueu bandeira, culminando com a queda do projeto”, relata.

Javert conta que o primeiro lote que a ACIC recebeu em doação, ficava longe, era acidentado e era de difícil acesso, o que deveria onerar a construção. Então que surgiu a possibilidade de permutar o lote por outro, no município de Contagem. E assim foi feito.

Novo prédio

Uma grande notícia mudou a história da ACIC. O empresário José Quintão informou ao então presidente da ACIC, Javert Vivian, que havia um lote da prefeitura, na Avenida Olímpio Garcia. “Em companhia do farmacêutico João Guedes, fizemos uma visita ao então prefeito Guido Fonseca, que atendeu ao nosso pedido de permuta.”, conta Javert. O ato do Executivo foi aprovado por unanimidade na Câmara Municipal, cujos nomes são registrados nos anais da ACIC. No dia 23 de dezembro de 1988, a troca foi realizada.

A obra foi iniciada ainda na gestão de Javert Vivian e terminada na gestão de Ermelindo Rocha Faria. Ambos os presidentes se desdobraram pelo êxito do projeto, em parceria com outros empresários e empresas que fizeram da ACIC uma realidade, como Nelson de Araújo Pires, Nino Belini, Diário do Comércio , Tércio de Souza, José Alvarez, T-Mil, João Guedes Vieira, Mario Portela.

Segundo Ermelindo, a construção desse prédio foi uma das obras mais importantes para a ACIC. O prédio foi inaugurado em 22 de dezembro de 1992.

ACIC hoje

Assentado no sopé de uma pequena elevação na Av. Olímpio Garcia, a poucos metros da Av. João César, o sereno prédio onde funciona sua sede, contempla, para sempre, a Praça Nossa Senhora da Glória, erguendo-se em sua forte estrutura metálica, todo envidraçado e austero, augurando e lutando pela empresa, pelo empreendedorismo e pela riqueza do Contagem e também do país.

Uma mulher na ACIC

Engana-se quem pensa que a ACIC era composta apenas por presença masculina. A primeira mulher a fazer parte do quadro da ACIC foi a advogada Hilda Ramos Porto. “Junto com outros empresários, participei da fundação da Associação, o que me deixa muito honrada”. Segundo D. Hilda, a criação da ACIC foi um marco em Contagem. “Com o surgimento da ACIC, Contagem passou a ter uma entidade de classe representativa”.